domingo, novembro 23

Linden...alguma coisa.


Olá caros não-leitores (de volta a esse posto, já que não deram mais sinal de vida nem de reclamação). Escrevo-lhes hoje neste domingo chuvoso da Ilha de Santa Catarina, onde me encontro atualmente, como posso dizer, alagado.

Poisé, alagados Trenchtown, favela da maré. Essa quase uma semana de chuva remeteu à essa triste condição atual.

Uma coisa que me passou pela cabeça quando, ao tentar voltar pra casa pela BR-101 e ser imterrompido por deslizamentos na estrada, foi uma comparação pitorescaque supera os limites da lógica Aristotélica. Parece deveras nonsense mas esse ocorrido foi como o caso do Lindenberg, ou seja lá qual for o nome da criatura. Vamos aos fatos: Linden, o grande vilão, é a chuva, o mar, os rios, e todo o resto que é feito de água; As duas menias seriam a terra e a ilha.

As pretipitações pluviométricas (bras.: chuvarada), enfurecidas com os constantes danos que os habitantes da terra e da ilha causam à sua pele, atmosfera, decide vingar-se, seqüestrando-lhe parte de seus litoral. A ilha, apesar de num primeiro momento ter sido seqüestra juntamente com a terra, consegue libertar-se, sofrendo pequenos danos. Porém a terra, a principal fonte de sentimento vingativo de dona água, sofreu danos irreversíveis. E esses danos que me remeteram a escrever esse texto inútil, vamos à parte crítica.

Ambos os casos, tanto o seqüestro (eu sei, eu sei, mas eu acho a trema tão bonitinha *-*) quanto a minha comparação nonsense trouxeram à tona o despreparo dos órgãos públicos. O seqüestro, mostrou o despreparo da polícia em relação à casos complexos como esse. E o desastre natural, o despreparo da defesa civíl (tiopês: dfeëza ssiviü) quando se trata se problemas sérios, e não falta de luz ou uma poça d'água de 30cm.

Sem mais delongas, o caso é que, no sequestro, o despreparo teve como consequencia a morte da adolescente (tudo bem que ela era envolvida nos 'negócios' do Linden, mas não é para tanto), e no desastre, as consequencias foram a mote de mais de 11 pessoas, a interrupção de várias rodovías, e a mais caótica delas: A produção deste texto.




Cruj Cruj Cruj Tchau.

Um comentário:

Andressa disse...

'-' até sapo ta pedindo ajuda aqui...
ueashesahueshahesa :$